Mulheres, revoltem-se

Julho 28, 2010

Mulheres, revoltem-se. Homens, revoltem-se também. Revoltem-se todas as pessoas contra as injustiças e discriminação.

Num documento divulgado recentemente, o Vaticano colocou ao mesmo nível a pedofilia e a ordenação de mulheres. Vindo de uma instituição com a importância e o peso da igreja católica, considero esta decisão torpe como uma das mais discriminatórias a que assisti nos últimos tempos. Anos de luta pela igualdade de direitos entre homens e mulheres, assistimos agora, uma década após o início do século XXI, a um adensar da discriminação entre géneros patrocinada por aqueles que deveriam ser os maiores defensores da justiça, da paz e da igualdade.

Opções como esta, só as consigo entender como uma forma desesperada de manutenção de um poder perverso e mesquinho.

Não há paciência.

Talvez a melhor forma de revolta seja não fazer nada, mesmo nada. O desgaste e o descrédito que, estou certo, decisões como estas provocarão na igreja, farão o seu caminho.

Anúncios