Dia Mundial da Criança

Junho 1, 2010

Hoje comemora-se o Dia Mundial da Criança.

Anúncios

Desperdícios

Maio 19, 2010

No final da semana passada (quinta ou sexta-feira), tinha na caixa do correio este folheto. Se ignorarmos que tem um autocolante “Publicidade, aqui não”, passemos às outras razões por que o folheto não deveria estar lá:

  • Publicita o Dia da Europa, a 9 de Maio, tendo sido distribuído fora do prazo. Na melhor das hipóteses foi depositado na caixa de correio no dia 12 de Maio;
  • Não compreendo a relação entre o verso do folheto e o conteúdo no seu interior;
  • É um folheto pouco claro, vago, auto-elogioso e proveniente de uma instituição pública que não deveria ter necessidade de se auto-promover;
  • Foi pago com dinheiros públicos que seriam certamente melhor empregues noutro âmbito.

Terá isto sido uma forma de obter mais um financiamento em algum programa “cego”, sendo preciso mostrar trabalho, digo, iludir trabalho?


O Diário de Notícias e os seus títulos

Maio 6, 2010

O Diário de Notícias, de modo muito parecido com o Jornal de Notícias, é um jornal que me diverte. A piada nem sempre é evidente, nem tão pouco gratuita. Lesse eu mais vezes este(s) jornal/jornais e a base de dados seria maior.

De vez em quando acabo por registá-las. É o caso deste título que não se percebe.

Hoje foi outro título, mas também o conteúdo, a propósito do roubo de ontem, levado a cabo pelo deputado Ricardo Rodrigues.

Não vale a pena explorar os favores e o alinhamento bem conhecido do DN.

Ignoremos o conteúdo da notícia e a ausência de qualquer referência a “PS” ou a “Partido Socialista”. Vejamos o título «Deputado fica com gravadores de jornalistas». Atente-se também no verbo: ficar; o deputado “fica com”. O deputado não rouba, não furta, não subtrai, não surripia, não gama. O deputado, repito, “fica com”.

Como gosto de imaginar e dar asas à criatividade, ponho-me a pensar sobre qual seria o título se o deputado fosse de outro partido. Ocorrem-me algumas hipóteses:

– Deputado do BE furta gravadores

– Roubo cometido por deputado do PCP

– Deputado do PSD  subtrai gravadores de jornalistas

– Vice-presidente da bancada do CDS apropria-se de gravadores

O que se pode (não) fazer só com um título de jornal…


A corte das cortes

Maio 4, 2010

Tenho observado alguns espécimes que me rodeiam, eu incluído. Todos da raça humana. Somos seres curiosos, capazes das maiores heroicidades mas também das maiores atrocidades. Há os que muito fazem, muito trabalham, muito investem: os que muito valor têm. Valor em absoluto, admitindo que poderíamos definir o valor absoluto de algo, isento de preconceitos, de julgamentos morais ou sem base em qualquer tipo de delimitação. Depois, e já começo a delimitar e a introduzir fronteiras, sem falar na da linguagem (como fazer de outra forma!?), há os que se aproveitam, os que se especializam em fazer pouco e em aproveitar a seu favor o que outros fazem. Séculos de apuramento, como ouvi dizer há pouco… Será esta a natureza humana, ou apenas a condição?

O que me parece, desta perspectiva delimitada e limitadora, é que estes espécimes, com todo o tempo que tiveram para se apurar, souberam tirar grande partido da aparência e da forma, deixando a essência praticamente inalterada. Já sem papiros nem lacre, as cortes e os jogos palacianos continuam, agora mais refinados, seja pela velha palavra dita, pelas mensagens escritas, email ou redes sociais.

Faz falta um novo ser, onde a solidariedade seja sincera, a fraternidade seja genética e a compreensão uma prática.

Para quando a democratização do sentir?


Aniversário

Abril 30, 2010

Hoje faço 2 anos desde o primeiro post.

Já ando e já digo algumas palavras.


The conversation prism

Abril 27, 2010

The conversation prism: uma abordagem interessante e inovadora da web 2.0. http://theconversationprism.com/1024/ Primeiro contacto a partir daqui http://ow.ly/1Dytl


Liberdade

Abril 25, 2010

Nem sempre atribuí à palavra liberdade o significado que lhe atribuo hoje. Nem sempre a senti com a profundidade com que a sinto agora. Estou agradecido a todos os que tornaram possível o 25 de Abril de 1974. Para celebrar este dia, para celebrar a liberdade que a muitos custou conquistar e que a muitos outros custa manter, passei o dia a senti-la: a liberdade. Vou continuar…